cabecalho.gif









21/08/2018-
Eleições Gerais
Frente do Rio irá cobrar dos candidatos posição sobre reformas previdenciária e tributária

A Frente do Rio contra a Reforma da Previdência Social do Governo Temer, formada por diversas entidades representativas de servidores públicos federais, vai cobrar dos candidatos à Presidência da República um posicionamento oficial sobre as reformas previdenciária e tributária.

Nesse sentido, em reunião conjunta realizada no dia 16 de agosto, na sede regional do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central/RJ, as entidades presentes aprovaram o texto "Por uma previdência democrática e solidária; por uma reforma tributária progressista", cuja versão final será encaminhada aos presidenciáveis e divulgada à sociedade.

A DS/Rio, que integra a Frente, representada pelo diretor de Assuntos Parlamentares Sergio Abreu, será signatária do documento.

Previdência - Inicialmente, o texto elenca os itens inverídicos e/ou falaciosos, utilizados pelos apoiadores do projeto de reforma previdenciária do governo Temer, como estratégia para conquistar adeptos e votos favoráveis no Congresso. O texto relaciona fatos, dados reais e as conclusões da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado Federal que investigou a alegada existência de déficit previdenciário.

O relatório final confirmou as suspeitas de grande número de parlamentares e sindicalistas de que não existe déficit nas contas da Previdência, mas sim, problemas de gestão e mau uso dos recursos da sociedade. Para corrigir esse cenário, o relatório da CPI apontou, entre outras medidas: a necessidade de maior combate às fraudes; maior rigor na cobrança de grandes devedores e o fim do desvio de recursos da Previdência Social para outras finalidades.

O relatório também denunciou a propagação de inverdades, por parte do governo federal, para fomentar medo e insegurança na população. Houve, inclusive, campanhas nos meios de comunicação afirmando que a Previdência Social brasileira estaria falida e, portanto, a única saída seria o desmonte da previdência pública e a adesão ao sistema privado. Essas contrapropagandas, realizadas com recursos públicos, beneficiariam os bancos - que, ao lado do governo e da grande imprensa, são os principais defensores da reforma proposta.

Tributação - Na segunda parte do seu documento, a Frente do Rio enumera pontos a serem considerados na reforma do sistema tributário nacional. Entre eles, a perspectiva do desenvolvimento do País, o fortalecimento do Estado de bem-estar social, a progressividade pela ampliação da tributação direta, ações que resultem no aumento das receitas, sem aumentar a carga tributária.

"Nossas entidades somaram forças e conseguiram enfrentar o projeto de reforma elaborado pelo governo Temer, que era uma ameaça à previdência social. Agora, queremos saber como os candidatos às eleições gerais pretendem lidar com esta questão e, ainda, com a reforma tributária", diz Sergio Abreu.

O diretor também comemora a reaproximação dos Auditores-Fiscais com outras entidades, promovida pela DS/Rio.

 

 

 

Imprimir
   

 

 

 

Rua Debret, 23 sala 711/716 - Centro - Rio de Janeiro - CEP.: 20030-080
Tel: (21) 3125-3800 - Fax:(21) 3125-3805
Rua da Quitanda, 30 - 11º andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ - CEP: 20011-030
Tel.: (21) 2507-6063 (fax) © 2009 sindifisconacional-rj.org.br – Todos os direitos reservados.