cabecalho.gif







Boletins


Publuicações
   
 

 

 

 

 

 

Anteriores

02/06/2020-
Live do Fisco
Você acha justo que os muito ricos paguem mais impostos?
Assista o debate e opine! Live nesta quarta-feira (3/6) nas redes sociais de



A tributação das grandes fortunas é assunto que precisa ganhar espaço no Brasil. Essencial para estruturar uma sociedade mais justa, mas praticamente um tabu entre os nossos legisladores, o tema estará em debate nesta quarta-feira, dia 3 de junho, às 19h, nas redes sociais de "Você Acha Justo?".

Ação conjunta - Esta é uma iniciativa conjunta da Anfip, da Fenafisco e das Delegacias Sindicais do Sindifisco Nacional de Belo Horizonte, Brasília, Ceará, Curitiba, Florianópolis, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Salvador.

Essas entidades vêm promovendo a discussão sobre Justiça Fiscal em diferentes fóruns. O documento de referência, Tributar os Ricos para Enfrentar a Crise, foi elaborado com a contribuição técnica de um coletivo de Auditores-Fiscais de todo o País e encaminhado, no dia 2 de abril, aos parlamentares das respectivas bases de atuação das entidades.

Participação - A diretoria da DS/Rio convida os filiados a assistirem a live numa das seguintes redes sociais: YouTube (acesse e se inscreva) - Facebook (https://www.facebook.com/voceachajustooficial) - Instagram (https://www.instagram.com/voceachajusto/) - Twitter (https://twitter.com/voceachajusto)

Debatedores - Os debatedores convidados por "Você Acha Justo?" são:

- AFRFB Paulo Gil Hölck Introini, um dos formuladores da "Reforma Tributária Solidária" (conheça)

- Caco Ciocler, ator de "Unidade Básica"(conheça)

- Economista Eduardo Moreira, autor do livro "Desigualdade & caminhos para uma sociedade mais justa" (sinopse)

- Economista Esther Dweck, professora da UFRJ, participante do livro "Economia para poucos impactos Sociais da austeridade e alternativas para o Brasil" (baixar), entre outras obras

"Você Acha Justo?": reflexão, avaliação, opinião



Num momento em que a economia mundial encara os impactos de uma pandemia, vemos diversas nações tomando medidas emergenciais para garantir os recursos indispensáveis à Saúde e às políticas de proteção social. Em contrapartida, o Brasil se contorce para entregar aos seus cidadãos mais pobres um abono emergencial que não supre sequer as necessidades mensais.

Questões - No Brasil, há muito a fazer para que os mais pobres paguem menos e os muito ricos contribuam com mais. É justo manter a mesma alíquota de Imposto de Renda para quem ganha R$ 5 mil ou R$ 500 mil? Ou a tributação poderia ter outras faixas e ser mais progressiva?

Os maiores bancos brasileiros, que tiveram lucro recorde em 2019, poderiam contribuir com um pouco mais? E as grandes empresas? Será esta a hora de tributar as grandes fortunas, como acaba de ser aprovado no Chile? Estas e outras questões estão lançadas.

Conscientes de que o Brasil pode se tornar uma nação mais igualitária a partir da reforma tributária justa, as entidades vinculadas a "Você Acha Justo?" convidam os colegas a opinarem sobre o tema.

Proposições - As entidades sugerem, ainda, a leitura e avaliação do documento Tributar
os Ricos para Enfrentar a Crise
. O texto contém proposições para o enfrentamento dos impactos econômicos causados pela pandemia do Covid-19 no Brasil.

Entre outras recomendações, encontram-se a tributação das grandes fortunas e a criação de mecanismos fiscais destinados a equilibrar a arrecadação, mas sem penalizar as camadas mais pobres da população.

Ajude "Você Acha Justo?" a ter identidade no YouTube


"Você Acha Justo?" busca "identidade própria" no YouTube. O principal requisito é ter ao menos 100 internautas inscritos em seu canal.

Por isso, solicitamos a colaboração indispensável dos nossos colegas. Basta acessar este link e marcar "Inscrito". Certamente, conteúdo e debate técnico de qualidade não faltarão em nosso canal.

 

 

 

Imprimir
   

 

 

 

Rua da Quitanda, 30 - 11º andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ - CEP: 20011-030
Tel.: (21) 2507-6063 (fax) © 2009 sindifisconacional-rj.org.br – Todos os direitos reservados.