cabecalho.gif







Boletins


Publuicações
   
 

 

 

 

 

 

Anteriores

03/06/2020-
Live do Fisco
Os muito ricos devem pagar mais impostos?
Participe da live hoje (3/6), às 19h, acessando uma das redes sociais de "Você Acha Justo?"



Debatedores - AFRFB Paulo Gil Hölck Introini, ator Caco Ciocler, economistas Eduardo
Moreira
e Esther
Dweck
.

Participação - Escolha a rede social (abaixo), acesse, assista, opine. Sua participação é essencial!

YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=SNZZ1tlXMaE)

Facebook (https://www.facebook.com/voceachajustooficial)

Instagram (https://www.instagram.com/voceachajusto/)

Twitter (https://twitter.com/hashtag/voceachajusto?src=hash)

"Você Acha Justo?"


Esta é uma iniciativa conjunta da Anfip, da Fenafisco e das Delegacias Sindicais do Sindifisco Nacional de Belo Horizonte, Brasília, Ceará, Curitiba, Florianópolis, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Salvador. O objetivo das entidades é promover a discussão sobre Justiça Fiscal em diferentes fóruns.

Proposições - O documento de referência, Tributar os Ricos para Enfrentar a Crise, foi elaborado com a contribuição técnica de um coletivo de Auditores-Fiscais de todo o País e encaminhado, no dia 2 de abril, aos parlamentares das respectivas bases de atuação das entidades.

O texto contém proposições para o enfrentamento dos impactos econômicos causados pela pandemia do Covid-19 no Brasil. Entre outras recomendações, encontram-se a tributação das grandes fortunas e a criação de mecanismos fiscais destinados a equilibrar a arrecadação, mas sem penalizar as camadas mais pobres da população.

Conscientes de que o Brasil pode se tornar uma nação mais igualitária a partir da reforma tributária justa, as entidades vinculadas a "Você Acha Justo?" convidam os colegas a opinarem e divulgarem o debate sobre este tema.

 

 

 

Imprimir
   

 

 

 

Rua da Quitanda, 30 - 11º andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ - CEP: 20011-030
Tel.: (21) 2507-6063 (fax) © 2009 sindifisconacional-rj.org.br – Todos os direitos reservados.